Como divulgar serviços com ética no marketing médico

Destaque ética medica

 

Investir em marketing é a chave para atrair clientes, fortalecer a marca e conquistar um espaço de destaque no mercado. Isso é essencial em qualquer setor e não seria diferente na área da saúde. No entanto, no caso da medicina, o Conselho Federal impõe algumas regras sobre ética no marketing médico.

 

Desse modo, é preciso conhecê-las para não infringir nenhuma norma e, assim, elaborar uma ação eficaz para impulsionar sua carreira. Por esse motivo, nós listamos os principais pontos que você deve conhecer. A seguir, confira o que você pode fazer e o que é proibido.

 

O que é permitido no Marketing Médico?

 

Apesar de a Resolução CFM 1974/11 colocar algumas restrições, é possível fazer um marketing médico dentro das normas e com resultados excelentes tanto para sua carreira quanto para sua clínica. Confira o que você pode fazer.

 

Divulgar serviços em qualquer meio

 

O profissional de medicina pode utilizar qualquer meio para divulgar seus serviços, incluindo as mídias digitais. Aliás, atualmente, as redes sociais são uma ótima ferramenta de marketing, pois além de poder anunciar o seu trabalho, também é possível interagir com seu público-alvo, criando um relacionamento.

 

ética medica - blog

 

Criar um blog

 

Produzir conteúdo informativo é uma maneira muito eficaz para aumentar o alcance da sua marca, atrair clientes e conquistar a confiança dos pacientes. Para isso, criar um blog com artigos sobre doenças, formas de evitá-las e tratá-las é melhor opção.

 

Porém, tome cuidado para não colocar os dados como verdade absoluta nem dar a impressão de diagnosticar alguma doença por meio de um texto.

 

Fazer referência aos equipamentos que sua clínica dispõe

 

Ao divulgar seu trabalho, você pode se referir aos equipamentos que sua clínica dispõe e aos tratamentos que realiza. No entanto, é proibido atribuir a eles a garantia de sucesso em procedimentos.

 

 

Participar de entrevistas

 

Do mesmo modo que você pode criar conteúdos informativos, também é possível participar de entrevistas para promover o conhecimento da sua área de especialidade. Essa é uma boa maneira de ser visto e lembrado como referência.

 

E o que não pode ser feito?

 

Conforme já comentamos, o CFM coloca algumas limitações para que a ética no marketing médico seja seguida. Acompanhe para descobrir quais são as mais importantes.

 

 

Fotos de “antes e depois”

 

Tão comuns em procedimentos estéticos, as fotos que mostram o antes e o resultado após determinado tratamento não são permitidas. É importante esclarecer que mesmo que o paciente faça uma publicação dessas, o CFM proíbe que o profissional reposte nas redes.

 

Selfies com pacientes

 

Do mesmo modo, o Conselho Federal é bem claro ao proibir as selfies, mesmo que com autorização do paciente. Isso porque o órgão leva em consideração a proteção à privacidade e o anonimato inerentes ao ato médico.

 

Divulgar preços

 

Outra norma que deve ser seguida é sobre a proibição do anúncio de preços de consultas e tratamentos, bem como a concessão de descontos como uma forma de criar um diferencial competitivo. Afinal, os pacientes devem procurar os serviços médicos pela qualidade e não pelo valor.

 

Denominar-se o melhor

 

Você pode divulgar seus serviços e participar de entrevistas. Contudo, não é permitido se colocar como o melhor profissional da área ou o único médico a realizar determinado tratamento. Da mesma maneira, não se refira ao seu consultório como o único lugar onde o paciente encontra determinado serviço. Isso porque essas afirmações são vistas como uma forma de iludir os pacientes.

 

Enfim, o marketing é imprescindível para que os profissionais da saúde impulsionem sua carreira. Mas, como você viu, é preciso seguir à risca as premissas da ética do marketing médico.

 

Assim, você conseguirá fazer uma divulgação eficaz sem infringir qualquer norma da categoria.

 

Quer saber mais sobre o assunto? Então, baixe nosso e-book sobre Marketing Médico e entenda como fazê-lo dentro das normativas do CFM.